skip to Main Content
Casos De Violência Doméstica Aumentam Durante A Quarentena

Casos de violência doméstica aumentam durante a quarentena

O isolamento social diminui os riscos de contrair o coronavírus, porém para muitas mulheres significa o aumento da violência doméstica. Segundo a ONU, “o impacto econômico da pandemia pode criar barreiras adicionais para deixar um parceiro violento, além de mais risco à exploração sexual com fins comerciais”.

Por causa das restrições da quarentena, as mulheres podem enfrentar ainda mais obstáculos para fugir de situações de agressão ou acessar órgãos de proteção que salvam vidas. Em todo o estado de São Paulo, houve aumento de 30% nos casos de violência doméstica durante o período de isolamento social. Com isso, o Tribunal de Justiça de São Paulo recomenda a todos os magistrados atenção especial aos casos de violência doméstica.

Uma das orientações é que as medidas protetivas de urgência sejam disponibilizadas sem a necessidade de boletim de ocorrência, conforme explica a juíza Teresa Cabral, da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJSP.

Quem reside em Atibaia e está passando por situações de violência pode procurar o CRAS mais próximo de seu bairro das 09h às 15h ou ligar pelo telefone (11) 4411-0357. Em casos de emergência, os números de telefone da Polícia Civil (153), Polícia Militar (190) e o aplicativo SOS Mulher – botão do pânico também estão disponíveis 24 horas por dia.

As denúncias de violência doméstica e familiar também podem ser feitas pelo número 180. Há também, como novidade no estado de São Paulo, o boletim de ocorrência eletrônico, que agora passa a contar com o registro eletrônico de violência doméstica. Disponibilizamos canais de informações e serviços para acesso:

Boletim de Ocorrência Online

Durante o período de isolamento social, o boletim de ocorrência online foi estendido para denúncias de vítimas de violência doméstica.

Projeto Carta de Mulheres

O TJSP disponibiliza um formulário on-line em que uma equipe especializada responderá com orientações e informações sobre locais para atendimento adequado, como: delegacias, casas de acolhimento, Defensoria Pública, Ministério Público, além de diversos programas de ajuda de instituições públicas ou organizações não governamentais.

Atendimento às situações de violência sexual e aborto legal no estado de São Paulo.

O mais importante é que as pessoas não sintam medo de denunciar situações de violência contra mulheres e meninas. Mesmo no atual contexto de pandemia e isolamento social, todos os direitos dos cidadãos devem ser plenamente assegurados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top